Buscar

Apartamentos planejados: como criar ambientes para diferentes estilos



Segundo o dicionário Oxford Languages, a definição de arquitetura pode ser: “arte e técnica de organizar espaços e criar ambientes para abrigar os diversos tipos de atividades humanas, visando também a intenção plástica”.


Para a arquiteta da Claassen Arquitetura e Construção, Cristina Campos, “o papel do arquiteto é criar novos percursos e novas vivências em um espaço”.


Na hora de criar um projeto de interiores o arquiteto precisa saber muito mais do que as características do ambiente e suas limitações. Cristina Campos explica que “para se iniciar um projeto é muito importante conseguir fazer uma leitura do cotidiano do cliente juntamente com o que ele imagina e sonha. Quantas pessoas? se tem animais de estimação ou não, filhos? quais são os hábitos, o que gostam de fazer em horários livres, quais são seus hobbies? entre outros vários detalhes que devem ser observados”.


Pensando nos diferentes estilos de vida que temos em nossa sociedade e a valorização do lar no último ano, pedimos à Cristina Campos algumas dicas para criar ou renovar alguns ambientes do seu apartamento.


Antes de elencar suas sugestões, Cristina Campos ressaltou que “o projeto pode ter uma marca registrada de quem o projetou, mas cada um é único e deve ser pensado e executado com o gosto e a carinha de quem vai usá-lo diariamente. O espaço tem que ser útil, precisa funcionar para quem o utiliza”.


Apartamento de solteiro


Em geral, apartamentos que abrigam pessoas solteiras são imóveis pequenos e que exigem uma boa disposição dos móveis para serem funcionais, além de permitirem uma decoração com um estilo mais descontraído.


Cristina Campos comenta que apartamentos de pessoas jovens, que costumam receber muitos amigos, podem ser projetados integrando todos os ambientes, usar materiais mais modernos e ousados, apostar bastante na iluminação e em mobiliários versáteis, permitindo criar novos cenários durante a vivência do espaço.


Tem criança no apê


Se engana quem acha que casa com crianças não pode ter estilo. Pode e deve! Basta saber quais acabamentos, materiais e tecidos são mais resistentes a algumas traquinagens e eventuais sujeiras comuns no dia a dia dos pequenos.


“Pessoas com filhos pequenos, precisam de um espaço prático, com espaços mais abertos para as crianças poderem brincar e se desenvolver. Móveis com superfícies fáceis de limpar, pensar em alturas de móveis e minimizar pontos que poderiam prejudicar a segurança dos pequenos”, recomenda Cristina Campos.


A casa é tão sua quanto da criança. Inevitavelmente terá brinquedos e livros espalhados que não vão combinar com a decoração, a menos que se escolha tons neutros e se faça algumas adaptações em móveis, permitindo que esses objetos façam parte do visual, estimulem o sentimento de pertencimento e ensine um pouquinho de organização para as crianças.


“Quase tudo que é infantil é colorido. Móveis em tons neutros deixam o ambiente mais leve e não conflitam com as cores dos brinquedos que podem dar um ar descontraído para a decoração”, indica Cristina Campos


O trabalho dentro de casa


O home office é uma realidade em muitos segmentos, transformando os espaços da casa para que as pessoas possam trabalhar com o mesmo bem-estar e as mesmas condições técnicas do escritório. “Em se tratando de arquitetura de interiores podemos dizer que um projeto de um ambiente de trabalho e de um ambiente de lazer são praticamente opostos”, afirma Cristina Campos.


Para a arquiteta, em tempos em que o trabalho é o ponto principal da casa, o desafio é conciliar a função acolhedora e relaxante da casa com a atmosfera de concentração e produtividade do trabalho sem prejudicar nenhum dos dois momentos. Cristina Campos lembra que para se conquistar essa união de forma harmônica “é importante focar em uma iluminação adequada para cada momento. Em residência, costumamos usar uma temperatura de cor de lâmpada um pouco mais quente que traz mais conforto. Para ambiente de concentração como o trabalho, precisamos de uma iluminação mais fria, então, podemos apostar em luminárias portáteis, por exemplo”, sugere.


Outra dica dada pela especialista é escolher um local específico da casa para montar o escritório, dando o significado e a utilidade correta para cada ambiente e deixando fluir a energia para harmonizar o trabalho com o conforto do lar. “Trabalhar um dia na mesa de jantar, outro no sofá da sala, outro dia na cozinha, faz com que sua concentração oscile e cada vez que você muda de lugar, sua casa acaba ficando desorganizada e isso pode trazer um desconforto”, esclarece a arquiteta.


Para finalizar, Cristina Campos relembra a importância de o arquiteto se colocar no papel do cliente, se imaginando no espaço, entendendo as necessidades do cliente e desenvolvendo um projeto personalizado que prioriza as necessidades de quem o contratou.


126 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo